News

Um morador de rua de Santos, no litoral de São Paulo, bombou na web após passar por um ‘dia de beleza’ nas mãos de um cabeleireiro da cidade. Uma das imagens, com o ‘antes e depois’ do rapaz, acabou viralizando, já que a aparência do homem foi completamente transformada.

A iniciativa partiu de Alex Gomes da Silva, de 42 anos. Nascido e criado em Santos, o barbeiro se dedica há pelo menos 15 anos em doar tanto o serviço de corte de cabelo quanto a distribuição de sopa a moradores de rua.

Na tarde desta terça-feira (31), porém, Gomes decidiu atender a um pedido de uma amiga, que costuma entregar almoço para o morador de rua registrado no cruzamento das avenidas Washington Luís com Francisco Glicério, no bairro Gonzaga.

“Sabemos que o nome dele é Jovino, e que ele costuma dormir em um albergue aqui da cidade. Já o conhecemos por ele ser fechado, mas foi um dos moradores de rua mais gratificantes de atender”, contou ele ao G1.

O registro feito pela esposa, que também o ajuda nos cortes, ganhou as redes sociais. “Ele não fala, só se expressa por gestos. Mas, aos poucos, foi ganhando confiança e abriu um sorriso quando viu o antes e o depois dele. Isso não tem dinheiro que pague”, conta.

Quando não está se dedicando a ajudar outras pessoas, Gomes atua em seu salão de cabeleireiro, onde também dá aulas de barbearia. Os alunos também participam do projeto, intitulado “Equipe Mãos de Tesoura”.

“Não é só aprender [a cortar cabelo], e sim, ajudar. Fazemos um trabalho bonito, que gera um choque de realidade. Costumamos conversar, perguntar o nome, se têm família, o que fez com que eles fossem para as ruas. Muitos não dizem. Mas, geralmente, é a única conversa que eles têm”, diz.

Recordação da infância

A iniciativa de oferecer sopa e corte de cabelo a moradores de rua nasceu graças a uma lembrança da infância. Gomes conta que, quando pequeno, ao lado da mãe e de seus cinco irmãos, chegou a passar necessidades.

“Para que a gente não passasse fome, nossa mãe nos levava a albergues, onde tomávamos sopa ou comíamos a comida do dia. Anos depois, graças a Deus, tive a oportunidade de servir àqueles com quem já me sentei”, relembra.

Gomes perdeu a mãe há um ano. “Queria que ela visse isso tudo”, diz ele que, quinzenalmente, ao lado da esposa, Jéssica Daval, e dos alunos de barbearia, distribui a boa ação desde o cruzamento onde encontrou Jovino até a região próxima ao Mercado Municipal, no Macuco.

“Minha esposa fica no carro, onde colocamos as panelas de sopa, e posicionamos cinco cadeiras ao lado do carro, na calçada, onde cortamos o cabelo e servimos a comida. São 300 sopas, 300 pães e 300 sucos, além de cobertores. Preparo tudo em casa”, conta.

Para financiar o projeto, Gomes arca com recursos do próprio bolso, já que nem sempre donos de comércios e outras pessoas aceitam ajudar. “Peço nas redes sociais, mas costumo tirar do bolso. Hoje, tenho a ajuda de um amigo, mas é um trabalho grande”, explica.

Mesmo nobre, ele lamenta que a iniciativa seja vista com maus olhos por algumas pessoas. “Muitos reclamam que estamos ajudando vagabundos. Tem que dar, doar, de coração”, justifica. “Conforme você planta, vai enraizando o bem”, finaliza.

Fonte: G1

O Di Alma realizou neste último domingo mais uma ação.

Nos juntamos ao Projeto Meu Aumor e ao Centro de Zoonose de Osasco e, além do café da manhã de todos os meses, vacinamos todos os cachorros dos nossos amigos em situação de rua.

Temos que agradecer ao Meu Aumor e ao Centro de Zoonose por nos ter permitido participar desta linda ação em prol dos animais de rua.

Não podemos deixar de agradecer, também, ao Jean e a Cris que neste mês nos doaram 200 sanduíches para esta distribuição.

É graças a pessoas caridosas como estas que o Di Alma continua a ajudar todos aqueles mais vulneráveis.

Obrigado a todos que colaboram para mais essa ação e aproveite para ver a nossa Galeria Di Manhã – Julho/18

Em Agosto tem mais.

ROMA — A “Lavanderia do Papa Francisco” abriu as portas em abril de 2017 em Roma para que indigentes e pessoas sem teto possam lavar e passar suas roupas, anunciou o Vaticano.

A lavanderia, administrada por voluntários, encontra-se em uma das sedes da organização católica Comunidade de Sant’Egídio, no bairro de Trastevere, em Roma. Com esta contribuição, o Papa apoia pessoalmente ações da comunidade católica, que há anos ajuda os pobres da capital italiana.

Trata-se de um novo serviço oferecido pela Santa Sé para os pobres da capital italiana, que já contam com chuveiros para banhos, cabeleireiro, vestuário, centro médico e um ponto de distribuição de artigos de primeira necessidade, que o Papa argentino apoia pessoalmente como gesto de caridade.

Este novo serviço ajuda a “dar dignidade a tantas personas que são nossos irmãos e irmãs”, explicou a Esmolaria Apostólica.

Fonte: O Globo

SÃO PAULO

No puxadinho de Valtair José de Souza, 50, há duas camas, mas ele dorme somente no sofá. Os dois colchões, abarrotados de brinquedos, ocupam a maior parte do espaço, mas nenhuma criança nunca dormiu lá desde que ele se mudou, há cerca de um ano, para essa casa abandonada a poucos metros do parque Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, e que foi invadida por cerca de 30 famílias.

Dos seus filhos, Felipe, 5, vive há um ano e meio em um abrigo da prefeitura, e Joana, 2, sumiu com a mãe e ele não a vê há mais de um ano. Os nomes das crianças são fictícios.

No puxadinho, as camas preparadas para receber as crianças são uma forma de Carioca, como Valtair é conhecido, manter a esperança de recuperar a guarda dos dois filhos. Ele, que sobrevive fazendo bicos, tira de uma pasta surrada todos os documentos originais dos filhos: as certidões de nascimento, avaliações da escola e o RG do mais velho, além da carteira de vacinação com as doses em dia.

Ao lado da cabeceira de uma das camas, está apoiada a bicicleta de Felipe, que Carioca teve que arrastar até em casa no dia em que o menino foi levado a um abrigo, após a Justiça o ter destituído do poder familiar. “Ele foi comigo ao fórum nesta bicicleta”, lembra Carioca, sobre o dia que viu o filho pela última vez.

A decisão judicial de colocá-lo sob tutela do estado veio três meses depois de o pai ter sido preso em flagrante sob a acusação de agredir o filho. No registro feito na delegacia, testemunhas o acusaram de arrastar o menino pela calçada e lhe dar socos na cabeça, além de jogá-lo com violência no concreto. O relato também diz que ele estava embriagado.

O pai foi acusado de nove crimes, entre eles, maus-tratos e violência doméstica —cumpriu três meses de detenção. Carioca, porém, tem outra versão. Ele conta que, naquele domingo de setembro de 2016, havia levado o filho para acompanhá-lo, enquanto trabalhava como guardador de carros na esquina das ruas Augusta e Estados Unidos.

A digital, que antes assinava documentos, agora vai abrir as portas do mundo digital. Através da tecnologia de seus produtos, a Samsung, em parceria com o Instituto Paulo Freire, vai contribuir com a educação e a alfabetização de centenas de pessoas. O projeto Alfabetização Cidadã foi criado para que aqueles que coletam, separam e tratam resíduos em geral tenham suas vidas transformadas através da autonomia da escrita. O objetivo de levar a tecnologia para o dia a dia dos alunos é alfabetizá-los e promover a inclusão social e digital, trazendo a eles novas perspectivas de vida e transformando-os em Embaixadores da Sustentabilidade também no mundo virtual.

História

Uma educação humanizada e transformadora. Este foi o grande desejo que motivou Paulo Freire a construir o próprio Instituto que, em parceria com pessoas e instituições movidas por estes mesmos princípios, se propõe a fortalecer a luta pela construção de “um outro mundo possível”. O pensamento freiriano atravessou fronteiras e está presente em inúmeros países, em todos os continentes. O método inovador de ensino e aprendizagem adotado pelo Instituto Paulo Freire coloca a vida do aluno no centro da educação e proporciona às pessoas a descoberta de novos horizontes.

Fonte: Samsung

Se você tem a chance de fazer o bem, então o faça